FAMÍLIA

Nossos Queridos Filhos

A minha herança de Deus

A herança vem dos pais, mas a mulher prudente vem de Deus” 

Existem pessoas que vieram ao mundo com a tarefa de abençoar... Creio que alguma delas vieram para algumas tarefas específicas. Acredito que a tarefa específica da Missionária Professora Maria de Lourdes Garcia da Silva, é de abençoar e cuidar de mim. Faz tempo que Deus a colocou em minha vida (quarenta e seis anos como verdadeira adjutora).

Com todos os meus defeitos ela pacientemente cuida de mim.

“Mulher virtuosa quem achará?” Penso que o homem por ele mesmo jamais achará a “virtuosa”. É somente com o auxílio de Deus e orientação do Espírito Santo que ele poderá achá-la.

Foi assim comigo... Eu procurei e cada vez errava mais. Felizmente Deus não respondeu com um sim todos os meus pedidos, pelo contrário eu teria errado na escolha. Ele tinha reservado em Sua bondade a Lurdinha para me abençoar.

Penso que tudo o que ela fez, faz e ainda fará até o fim de sua vida é ajudar-me, auxiliar-me como uma mulher deve fazer ao homem, seguindo a missão que Deus assim as vocacionou desde o inicio dos tempos. Tem me ajudado a levar minha cruz. Ela sabe bem o que é levar “as cargas um dos outros”. E como ela sofre!...

Boa criança em casa ajudou a sua mãe a cuidar de mais sete irmãos. Quantos vizinhos foram beneficiados por ela quando aplicava injeções a qualquer hora, uma vez que lá na roça é difícil quem tem essa disposição.

Na máquina de costura, quanta roupa ela fez e até os moldes ela fazia. Lá na igrejinha de Cedro-SP ela ajudou em tudo. Aos catorze anos escrevia as Atas da SAF e presidia a UMP. 

Tocava o órgão de pedal da igreja e aprendeu a tocar acordeom ainda bastante jovem. 

Com o seu acordeom saía na carroceria de caminhões com jovens e adultos para ministrar os cultos nas roças vizinhas. O seu cuidado para com as crianças e outras atividades levou o Rev. Oscar Chaves encaminhá-la ao IBEL.

Você meu querido leitor, já pensou o quanto ela foi útil naquele abençoado Instituto aos longos dos anos de preparo para o ministério? Ela se preparou para servir ao Senhor em todo o território nacional ou internacional, ou melhor, onde o Senhor assim a mandasse ir. Quando concluiu o curso de Evangelista do IBEL, ela foi convidada para lecionar na escola primária Erasmo Braga que era mantida pela igreja de Patrocínio e ser regente do coral da mesma igreja. Cuidou da congregação e até foi uma das professoras primária do nosso estimado presidente da IPB - Rev. Roberto Brasileiro - o que dá a Lurdinha muita alegria.

Namoro não. Casamento nem pensar! Queria ser uma missionária. Seu desejo era cuidar das crianças e idosos. Amiga de todos, não gosta e até hoje não gosta de palavras torpes ou palavrões. Não aceita fofocas. Honesta, limpa, trabalhadeira. Assim a conheci no IBEL quando lá estivesse pregando como presidente da federal de jovens do Presbitério do Triangulo Mineiro (naquela época de 1961). Tentei por dois anos inteiros convencê-la deixar daquela ideia de não se casar. Mal sabia ela que eu estava defendendo minha causa própria. Depois de alguns encontros em trabalhos em igrejas e no seminário de música (Antigo JMC – seminário menor), conseguiu finalmente o seu sim para casar.

Casamos-nos em 1965 e nos mudamos para o SPS e lá ficamos cinco longos anos. Quando fomos enviados como plantadores de igreja presbiteriana do Paraguai e até o dia de hoje é a minha esposa, amiga e conselheira.

Mãe de quatro filhos. Duas meninas e dois meninos (inclusive gêmeos). Por eles ela deixou de seguir seus estudos para dedicar-se a eles

 todo o seu tempo e talento.

Agora aos setenta e dois anos ela continua a mesma abençoadora. Louvo a Deus por tudo isso.  

Evandro.

 

Meus queridos netos