18 Abril

 

Doar

 

Leia -> Êxodo 35:20-35

...e todos os que, de faro, queriam voltaram trazendo uma oferta para o Senhor [...] Vieram homens e mulheres, todos com muita boa vontade... (vv.21-22).

 

      Na economia imprevisível de hoje, os responsáveis por organizações de caridade estão preocupados com o “cansaço do doador”. Este termo descreve o que acontece quando as pessoas se casam de ouvir repetidos pedidos para contribuições. Traduzindo, eles param de doar!

     Com tantas necessidades urgentes no mundo, é fácil nos sentirmos sobrecarregados por nossa própria imperfeição. Ainda assim, é um mandamento bíblico dar generosamente àqueles que estão em necessidade (Deuteronômio 24:19-22 e Mateus 5:41-42), como também sustentar os servos de Deus.

    Duas perguntas vêm à mente:

° Como distinguimos aqueles que têm uma genuína necessidade daqueles que são “esponjas” ou vigarista?

° E se não tivermos nada para dar?

     Interessante notar que não temos registro de Jesus ter dado alguma coisa de seu próprio bolso para qualquer pessoa enquanto Ele tinha andou pela terra. De fato, Jesus confiou na bondade dos outros. Ele tinha uma forma única e divina de tomar aquilo que outros estavam dispostos a dar e multiplicá-lo milagrosamente (Mateus 6:31-44; 8:1-9).

      Em Êxodo 35, compreendemos o conceito de dar que agrada a Deus. Era o tempo de construir o tabernáculo do Senhor. Somente aqueles “...que, de fato, queriam...” doaram (v.21). Deus não exigiu que todos contribuíssem. Somente aqueles que estavam dispostos a se engajaram. E eles não somente contribuíram financeiramente. Artesãos habilidosos e artífices deram seus talentos e tempo.

     Se operarmos segundo a premissa de que tudo que temos é de Deus, teremos menos probabilidade de nos agarrarmos aos nossos poucos bens quando alguém precisa, genuinamente, de nossa ajuda. A questão é, todos que têm “um coração disposto” podem dar algo de valor. Dê de boa vontade de que você tem. Depois deixe os resultados milagrosos para Deus.

 

- Tim Gustafson