11 de Maio

 

Drogado no Sinai

 

Quando a Moisés no Monte Sinai, ou foi um evento cósmico sobrenatural, o que não acredito, ou lenda, o que também não creio, ou finalmente, e isto é muito provável, um evento que uniu Moisés e o povo de Israel sob o efeito de narcóticos. –Benny Shanon, Timme ande Mind Journal of Philosophy (Jornal de Filosofia, Tempo e Mente)

 

Leia-> Salmo 19:7-11

O temor ao Senhor é bom e dura para sempre. Os seus julgamentos são justos e sempre se baseiam na verdade (.v).

 

 

      Não sei quanto a você, mas a suposição de que Moisés estava sob efeito de drogas no Monte Sinai e imaginou o seu encontro com Deus me tirou do sério! Ao dizer isso, estou consciente de todos nós podemos ler a Bíblia de maneira distorcida por nossos preconceitos. Portanto, como podemos evitar isto?

     Começamos respeitando o autor – e o autor é Deus. Davi escreveu: “O temor ao SENHOR é bom e dura para sempre. Os seus julgamentos são justo e sempre se baseiam na verdade” (Salmo 19:9). Respeitá-lo significa que estamos mais preocupados com o que Ele quis dizer do que com as nossas próprias e suavizadas interpretações das Escrituras.

     Ao lermos a Bíblia dispostos a enxergar as mensagens de Deus, ao invés das nossas, precisamos pedir que o Espírito Santo nos guie. Jesus nos prometeu que “o Espírito Santo [...] ensinará [...] todas as coisas” (João 14:26), mas o cuidado ao manejar a Palavra não para por aí.

     Com a ajuda do Espírito Santo, precisamos ler a Bíblia inteira. Sabemos que “... toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus...” (2 Timóteo 3:16), porém alguns preconceitos podem nos levar  a enfatizar determinadas partes e ignorar outras. Davi nos garantiu que “A lei do SENHOR é perfeita...” (Salmo 19:7).

     Nosso respeito pela Palavra de Deus deve sempre superar as idéias humanas a respeito da Bíblia, até mesmo as nossas! Davi afirmou: “Os ensinos do Senhor são certos...” (Salmo 19:8), portanto vamos confiar inteiramente em Sua Palavra, em vez de nos “embriagarmos” em nossos próprios pensamentos.

 

- Jennifer Benson Schuldt