2 de Junho

 

Sem medo

Leia -> Números 13:25-14:3
Por que será que o SENHOR Deus nos trouxe para esta terra? Nós vamos ser mortos na guerra, e as nossas mulheres e os nossos filhos vão ser presos. Seria bem melhor voltamos para o Egito (14:3).

       As Crônicas de Nárnia, a série clássica de C. S. Lewis, dá vida aos elementos essenciais da fé e do amor em nosso relacionamento com aquele que nos amou primeiro. Uma terra presa á frigidez do inverno, Nárnia aguarda o fôlego de Aslam para poder se reanimar e reviver. Lucy, a mais nova dos quatro principais personagens no romance, demonstra confiança e perseverança. Porém, sua irmã mais velha, Susana, às vezes é mais medrosa e tímida. O medo, muitas vezes, também é meu companheiro infiel.
     Onde estiver, o medo rouba. Leva-nos à autossuficiência em uma interminável ladainha de “e se”. Inúmeras vezes, Deus supriu os filhos de Israel em sua jornada á Terra Prometida. Ainda assim, eles consideravam apenas as circunstâncias, ao invés de confiar na grandeza de seu DEUS. Se aconselharam com o medo (Números 13:31-33) ao invés de confiar em Deus (13:30; 14:6-10). A conseqüência foi terrível A provisão do dia anterior pode servir como um lembrete da fidelidade de Deus, mas a perambulação de Israel pelo deserto por 40 anos demonstra que confiar no Senhor é uma atitude diária.
     O livro de 2 Timóteo 1:7 diz, “Pois o Espírito que Deus nos deu não nos torna medrosos; pelo contrário, o Espírito nos enche de poder e de amor e nos torna prudentes” O sacrifício de Jesus por nós na cruz removeu nossa necessidade de temer. Ao segui-lo, ganhamos a segurança e confiança de ter...
 

• O correto entendimento de Deus (Números 14: 17-20).
• Absoluta confiança nele (Isaías 26:3-4).
• Uma vida crucificada (Romanos 6:4-6).
 

   Assim como a salvação requer nossa submissão à cruz, devemos escolher andar na plenitude do imenso poder. Viver com medo é voltar ao “inverno” de nosso passado, esperando que o Pai nos dê algo que já é nosso (Lucas 12:32).
-Regina Franklin