15 de Junho

 

Público de uma pessoa

Leia -> Mateus 6:1-18
...o cuidado de não praticarem os seus deveres religiosos em público a fim de serem vistos pelos outros. Se você agirem assim, não receberão nenhuma recompensa do Pai de vocês, que está no céu (v.1).

        Como pai de três filhos, sou muito interessado em suas palavras e ações. Da mesma forma, Deus está interessado com o comportamento de Seus filhos. Ele espera que eles façam boas obras neste mundo (Efésios 2:10; Mateus 5:16). Mais do que isso, Ele deseja que Seus filhos tenham as motivações corretas. É por isso que Jesus nos advertiu sobre motivações certas e erradas em Mateus 6.
      Jesus identificou as três grandes tarefas de toda religião – dar aos pobres (vv.1-4), orar a Deus (vv.5-15), e jejuar (vv.16-18). Ele nos advertiu a não usar nosso relacionamento com Deus como uma plataforma para mostrar como somos espirituais. Quando assim o fazermos, perdemos a recompensa reservada para nós.
     Jesus não disse que era errado fazer estas coisas. Ele não focou no aspecto de como e quando, mas porquê. Os fariseus faziam justiça “...para pelos homens”, buscando auto-exaltação e louvor dos homens (vv.1,5,16; 23:5). Jesus disse, “...já receberam a sua recompensa” (Mateus 6;2.5.16). Paulo acrescenta, “Pois a pessoa só é aprovada quando o Senhor a aprova e não quando é aprovada por si mesma” (2 Coríntios 10:18). Jesus condenou os fariseus por esta hipocrisia de autogratificação (Mateus 23:13-33)
      Nossos atos de devoção a Deus devem ser feitos de forma simples, sincera e secreta. Ele sabe quem é autêntico e quem é hipócrita (Jeremias 23:24; Provérbios 15:3). “...Pai, que vê o que você faz em segredo, lhe dará a recompensa.” (Mateus 6;4,6,18).
    Ao fazermos boas obras, faça a si mesmo uma pergunta simples: Quem é o meu público? Será que ouviremos ISS de nós, “Como é que vocês podem crer, se aceitam ser elogiados pelos outros e não tentam conseguir os elogios que somente o único Deus pode dar?” (João 5:44).
-K. T. Sim