6 Julho

 

Campo Missionário

 

Leia-. João 8:1-11

...onde estão eles? Não ficou ninguém para condenar você? [...] Pois eu também não condeno você. Vá e não peque mais! (vv.10-11).

 

         As palavras de Adão ecoaram estranhamente pela sala como uma banda grunge em festival de polca, a expressão indecorosa pairava no ar como combustível queimado. Ele tinha acabado de usar um termo inadequado para descrever os homossexuais .

     Achei realmente que a palavra escolhida por Adão fora ofensiva, mas parecia menos ofensiva por ele referir-se aos pecadores. Então, tudo bem, certo? Espere! Dá um tempo!

     Minha amiga Pamela desafia ousadamente os cristãos que usam palavras depreciativas ao referir-se aos outros. E propositalmente pergunta:  “Desde quando se tornou aceitável ofender um campo missionário? Como você acha que Jesus lidaria com isto? Como Ele enfrentaria esta situação?

     Certo dia um grupo de líderes religiosos de Jerusalém levou até Jesus uma mulher apanhada em ato de adultério (João 8:3-5). Eles não estavam preocupados com o bem-estar espiritual dela, queriam apenas ludibriá-lo e talvez matá-la. Jesus não concordava com qualquer dessas alternativas, e não a via como alvo de escárnio e julgamento, mas via a sua necessidade. E Ele disse aos seus acusadores: “Quem de vocês estiver sem pecados, que seja o primeiro a atirar uma pedra nesta mulher!” (v.7), e depois disse à mulher: “... Vá e não peque mas!” (v.11).

    Quando nós, como cristãos, recorremos a xingamentos perdemos o privilégio de representá-lo àquele mundo. É pouco provável que o vejam em meio á fumaça e a neblina do nosso linguajar frívolo, farisaico e até mesmo envolto em dardos de ódio.

    Deus  “...não quer que ninguém seja destruído”, (2 Pedro 3:9). Não ajudamos “determinados”  pecadores a virem a Jesus se os insultamos com palavras em vez de compartilhar com eles as boas-novas do perdão de Deus através de Jesus Cristo. É uma lição que precisamos ter em mente ao lidarmos com as pessoas que fazem parte do nosso campo missionário.

-Tim Gustafson