14 Julho

 

Amar os inimigos

 

Leia-> 2 Reis 5:1-5

...amem os seus inimigos e façam o bem para os que odeiam vocês. Desejem o bem para aqueles que os amaldiçoam e orem em favor daqueles que maltratam vocês (Lucas 6:27-28).

 

        Naamã, o poderoso general de Arã, de repente ficou impotente. Sob sua armadura fascinante e impenetrável, uma doença o matava lentamente. Ele havia contraído lepra (2 Reis 5:1), e agora seu poder político e habilidades militares não poderiam ajudá-lo. Em breve perderia todo o poder e os bens na terra, inclusive a própria vida. Ele estava desamparado e sem esperança.

    Nessa altura, uma escrava hebréia entra em cena. Não se sabe muita coisa a respeito dela. É bem provável que a sua casa tenha sido destruída e os pais mortos pelos invasores de Arã. Ela fora levada à força como escrava para uma terra estrangeira (v.2). Nem mesmo sabemos o nome dela, Mas, sem ela, Naamã teria sido história.

     Certamente, ela poderia estar amargurada e zangada com Deus: Como posso continuar a crer num Deus que é incapaz de proteger a mim e aos meus queridos? Também poderia ter odiado o povo de Arã. Devia estar feliz por Naamã estar enfermo e morrendo.

     No entanto, ela disse à patroa: “...Eu gostaria que o meu patrão  fosse falar com o profeta que mora em Samaria, Pois ele o curaria da sua doença” (v.3). Ela os direcionou ao Deus de Israel e ao Seu profeta Eliseu. Ela ainda tinha profunda fé no Deus de Israel, embora naquele tempo ninguém jamais tivesse sido curado de lepra. (Lucas 4:27).

     Em vez de permanecer em silêncio e deixar que Naamã morresse, ela na verdade quis na Naamã se recuperasse. Em lugar de um espírito de amargura ou desejo de vingança, ela demonstrou um coração cheio de amor e perdão por seu inimigo.

      É natural odiarmos quem nos prejudicou. Seria considerado normal não perdoá-los ou desejar que não se recuperassem. Porém Deus nos chama a fazer o sobrenatural e o que não é natural. Interceder, amar e fazer o bem aos nossos inimigos (Mateus 5:43-44; Lucas 6:27-28).

- K. T. Sim