9 Agosto

 

A história acaba bem

 

Leia-> 2 Timóteo 4:1-8

Quando a mim, a hora já chegou de eu ser sacrificado, e já é tempo de deixar esta vida (v.6).

 

     Randy Pausch era respeitado professor na Universidade Carnegie Mellon ao ser diagnosticado com câncer no pâncreas em 2006. Pausch lutou bravamente, mas o câncer se espalhou com força. Um mês após lhe decretarem de seis a nove meses de vida de, Pausch deu sua, hoje famosa, “ultima palestra”. Dedicado homem de família (sua esposa Jai e três lindos filhos), Pausch estava determinado a fazer seus últimos meses valerem a pena, passando adiante aquilo que realmente importava.  “Estou tentando me colocar numa garrafa que um dia irá parar na praia para os meus filhos”, Pausch disse.

    O apóstolo Paulo sentiu o mesmo desejo. Ao final de sua vida, ele escreveu uma carta direta e sincera a Timóteo, seu protegido. Sentindo que “a hora” de sua partida estava se aproximando, Paulo fez um resumo de sua vida, numa espécie de epitáfio (2 Timóteo 4:6). “Fiz o melhor que pude na corrida, cheguei até o fim, conservei a fé” (v.7).

    Que alegria Paulo deve ter sentido quando recapitulou sua vida e percebeu que tinha cumprido a missão que Deus lhe confiara. Tinha investido suas energias, esperança e reputação em propósitos bons e verdadeiros. Mas não concluiu que sua vida tivesse sido perfeita. Ele apresava-se sempre para assumir seus piores feitos. A essência de sua vida, porém, fora voltada a partilhar os propósitos de Deus no mundo. Como resultado, Paulo encarou o fim de sua vida com alegre esperança. “E agora está me esperando o prêmio da vitória...”, ele disse (v.8).

    Quando nos aproximarmos da morte, estaremos satisfeitos pela maneira como investimos nossas forças e nosso tempo, e com os ideais e causas que atraíram o nosso coração e atenção? Nossas vidas terão sido entregues aos desígnios de Deus? Desfrutaremos do prezar de uma história com final feliz?

-Winn Collier