1° Setembro

 

Momentos de meditação

 

Leia-> Salmo 56

Confio em Deus e o louvo pelo que ele tem prometido; confio nele e não terei medo de nada... (v.4).

 

      Durante um voo, uma senhora tirou da bolsa uma Bíblia novinha em folha - ainda embrulhada. Meu amigo, ao seu lado, apontou para o livro tão novo e observou: "essa é nova mesmo!"

      A mulher sorriu e explicou que a sua antiga Bíblia, na bagagem de mão, estava "lotada". As anotações em tinta azul e as reflexões escritas nas margens tinham deixado pouco espaço e quase em pedaços. Por esta razão, ela tinha uma nova!

      Obviamente, aquela senhora é alguém que, literalmente, se apega à Palavra de Deus. Ela me faz lembrar de Davi que escreveu: "Eu louvo a promessa de Deus, a promessa de Deus o Senhor" (Salmo 56:10). Davi escreveu esta canção para relatar a sua pavorosa experiência ao ser capturado pelos filisteus (Salmo 56:1); 1 Samuel 21:11-15). Ele precisou fingir que estava louco para escapar das garras dos seus inimigos. Porém Deus o confortou enquanto ele passava com segurança do cativeiro para a liberdade (Salmo 56:9).

      Tanto a proprietária da Bíblia cheia de anotações, que demonstrou a sua grande fé em Jesus, quanto Davi tinham um motivo em comum para apegar-se a palavra de Deus: "Confio em Deus e o louvo pelo o que tem prometido" (vv.4,11).

      Pode ser que você não goste de escrever nas margens da sua Bíblia, mas espero que esteja investindo bem o seu tempo na Palavra. Sem esses momentos edificantes de meditação, observação e aplicação podemos ser deixados em devastação quando os tempos difíceis chegarem.

      Enquanto celebrava a libertação divina das mãos dos filisteus, Davi escreveu: "...Assim, ó Deus, eu ando na tua presença, eu ando na luz da vida" (v13). As anotações à margem da página da Bíblia não surgem do acaso, nem tampouco a profunda confiança em Deus. Continue se expondo à luz edificante da Sua Palavra. (Salmo 119:105).

-Tom Felten