18 Setembro

 

Laços de Família

 

Leia-> Gênesis 37:1-4, 13-20

Eles viram José de longe e, antes que chegassem perto, começaram a fazer planos para mata-lo (v.18).

 

 

     O barulho indicava problemas. Nossos pais tinham saído e minha irmã e eu começamos uma guerra de purê de batata, em vez de lavar os pratos. Persegui-a escada abaixo, determinada a não permitir que ela ganhasse apesar de eu ser a mais nova. Os louros da vitória se foram quando ela não viu uma porta  seus óculos se espatifaram. Seríamos punidas com certeza.

    Planejada por Deus para dar sentido à nossa identidade, a família é um dos lugares onde descobrimos nossos gostos, habilidades e como nos relacionar uns com outros. É nela que enfrentamos nossos primeiros conflitos. Mesmo em famílias mais estruturadas temos que lidar  com ressentimentos qe nos fazem acreditar em falso conceitos sobre nós mesmos.

    Ao lermos a história de José, muitas vezes nos concentramos nos sofrimentos que ele enfrentou devido ao ciúme dos irmãos. Ela ensina sobre o perdão (Gênesis 50:20-21), e demonstra como as questões familiares atingem profundamente o coração.

    José era o primogênito da esposa favorita de Jacó (Gênesis 30:21-24), era o predileto e seus irmãos sabiam disso (v.4). Uma coisa é enfrentar a desaprovação dos pais por não ter feito a lição de casa, outra é imaginar-se um fracassado, simplesmente porque nasceu da mulher errada (v.2). Acreditando que Jacó os rejeitara ao preferir José, seus irmãos se vingaram rasgando sua túnica e sua dignidade (v.20-24).

    Desde o início da criação, os relacionamentos familiares são difíceis (Gênesis 4:8). Os conflitos são inevitáveis. Trabalhando através da natureza pecaminosa do homem, o inimigo coloca os membros da família uns contra os outros (Miqueias 7:6).

    Reagir às mágoas, magoando os outros só perpetua a ciclo. Alinhar nossos corações ao de Deus, entretanto, permite o início da cura e a restauração (Lucas 1:17).

- Regina Franklin