19 Outubro

Resistindo ao grampo

Leia-> Hebreus 12:6-11
Quando somos corrigidos, isso no momento nos parece motivo de tristeza e não de alegria. Porém, mais tarde, os que foram corrigidos recebem como recompensa uma vida correta e de paz (v.11).

     
O britânico Ian Taylor tentou protestar serrando seu Ford Fiesta ao meio quando guardas de trânsito “grampearam” o carro. Parte do veículo estava estacionada, por uns cinco centímetros fora do limite permitido, e ele teria que desembolsar mais para pagar a multa do que o carro, que ele planejava dar ao seu enteado, valia. Antes de apoiar este homem, deixe-me terminar a história. Enquanto o sr. Taylor serrava, o carro pegou fogo, obrigando os bombeiros e a polícia a controlar as chamas e a movimentação de curiosos na ária.
    Quando recusamos correções, enfrentamos as consequências. Mas, quando aceitamos a disciplina – seja de Deus ou de autoridades terrenas, “...[recebemos] como recompensa uma vida correta e de paz” (Hebreus 12;11), e isso tem um peso especial quando se trata de disciplinarmos os nossos filhos.
     Nossas reações às correções passam um exemplo para os nossos filhos. Salomão disse, “Quem rejeita conselhos prejudica a si mesmo, mas quem aceita a correção fica mais sábio” (Provérbios 15:32)Quando erramos, nossos filhos precisam nos ver agir com humildade e aprender com as consequências. Assim, eles saberão o que fazer quando nós os disciplinarmos.
     Nossa submissão às autoridades não apenas serve de modelo para como nossos filhos deveriam reagir à nossa disciplina, mas também os ensina a respirar as correções de Deus à medida que eles crescem. O autor do livro de Hebreus diz “Deus nos corrige para o nosso próprio bem, para que participemos da sua santidade” (12:10).
      A correção vinda de Deus traz muitos benefícios: relembramos que Eles nos ama (v.6), que nos acolhe (v.7) e nos permite uma vida correta e de paz (v.11). Mas para os pais há mais uma coisa. O segredo para corrigir ao “grampo”.
-Jennifer Benson Schuldt