22 Outubro

Sendo satisfeitos

Leia-> Hebreus 2:9-18
...Deus [...] fez o que era apropriado e tornou Jesus perfeito por meio do sofrimento, [...] pois é Jesus quem [guia Seus filhos] para a salvação (v.10).

     
Biju Thampy, um jovem indiano, conhecia bem a pobreza. Quando um filantropo anônimo o enviou para a Inglaterra para estudar para o ministério, ele não quis se acomodar. Ávido por cumprir a Grande Comissão, pediu às autoridades escolares para usarem parte do orçamento de sua alimentação em missões. Para ele, ter apenas uma refeição por dia era sacrifício pequeno para cumprir. Hoje, sua igreja em Mumbai alimenta cerca de mil crianças todos os dias, e lhes ensina o evangelho. Um feito impressionante, mas ainda pouco para as mais de 200 mil crianças abandonadas naquela cidade.
      O mundo ensina a medir nosso contentamento com base em nossas circunstâncias. Nossa cultura não apenas nos diz “tenha”, mas “tenha do seu jeito”. Se você comprar algo que não funcione como quer, devolve. Se um relacionamento não der certo, termina-se. Se o emprego não for como quer, procura-se outro. Se você sentir um vazio na vida, uma pessoa ou um bem material poderão preenchê-lo. Recusamos-nos às faltas.
      Sempre teremos necessidades, objetos de desejou ou relacionamentos melhores. Tentar encontrar respostas em nossas circunstâncias deixa os nossos corações hesitantes sobre a provisão de Deus (Tiago 1:5-8). Somente Cristo pode conceder o que realmente precisamos. O contentamento quem vem de Deus vai além das circunstâncias.
      O contentamento não surge por acaso. É uma escolha que começa ao vermos como nossa fonte, nossas necessidades se definem por Sua vontade. Escolhemos:
    • Confiar no Senhor acima dos bens, pessoas e situações. (Felipenses 4:6-7).
    • Encher nossas mentes com o que realmente importa (v.8).
    • Olhar para o que temos não ao que temos, e ter em Cristo nossa fonte de satisfação (vv.11-13).
-Regina Franklin