26 Outubro

Lua cheia

Leia-> Salmo 19:1-4
O céu anuncia a glória de Deus e nos mostra aquilo que as suas mãos fizeram. Cada dia fala dessa glória ao dia seguinte, e cada noite repete isso à outra noite (vv.1-2).

     
Uma das visões mais magníficas da natureza é o nascer de uma lua cheia. É brilhante, majestosa e absolutamente imensa ao elevar-se no céu noturno.
    Quando uma lua cheia paira sobre o horizonte, parece bem maior que o normal. A “ilusão lunar”, como é conhecida, é uma ilusão de ótica que engana os nossos olhos e nos faz pensar que a lua está bem maior quando se aproxima do horizonte. Mas não está. Na verdade, neste momento a lua cheia não está mais perto nem maior do que se estivesse bem no meio do céu.
    A lua cheia nascente é tão impressionante que Deus teve que alertar Seu povo – aqueles que Ele resgatou do Egito de milagre em milagre – a não adorá-la. “E, quando olharem para o céu, não caiam na tentação de adorar o sol, a lua ou as estrelas. Pois o SENHOR, nosso Deus, repartiu o sol, a lua e as estrelas entre os outros povos, para que eles os adorem” 9Deuteronômio 4:19). O povo da antiga cidade de Jericó deveria ter levado essas palavras a sério. Pois a história nos conta que sua cidade, que mais tarde sira conquistada pelos israelitas em busca de sua Terra Prometida, tinha sucumbido à adoração lunar.
     Nunca me canso de ver uma lua cheia invadindo o céu da noite. Espero que nunca canse. Sentir admiração e temor é uma reação adequada. Mas em vez de adorá-la, reflitamos sobre quem a criou. No livro dos Salmos, Deus se refere à lua como Sua “...fiel testemunha que está no céu” (89:37).
    Na próxima vez que você estiver contemplando a luz cheia, olhe além de sua beleza estonteante para o Deus que a colocou nos céus há muito tempo (Gênesis 1:14-18).
-Jeff Olsen